8 de abril de 2015

Cabo Verde | São Vicente - Diário de Viagem #2


Quando acordei nem queria acreditar onde estava. Tudo parecia um pouco irreal, até demorei um pouco a situar-me. Dois primos meus já tinham dito que gostariam de dar uma volta connosco durante a manhã pela ilha. No entanto, outra prima chegou ao mesmo tempo para fazer o mesmo. Tentei não fazer desfeita a ninguém, até porque sabia que estavam felizes por me receber e eu igualmente feliz por estar com todos eles. Fomos para o Calhau! Sempre gostei do seu mar cheio de personalidade. Mas só de longe. Um dia irei descer aquelas escadinhas de piscina - que podem ver do lado direito - e mergulho. Embora seja uma piscina natural, o mar ainda é bravo. E só naquela área existem 3 vulcões extintos, cobertos com a sua própria terra preta. Algo a que não estamos muito habituados por aqui, estar ao lado de um vulcão. Uma sensação indescritível.



A origem do arquipélago de Cabo Verde é vulcânica e é por isso que há também algumas praias fascinantes de areia preta. E no Calhau, comecei a perceber que os meus dias seriam brindados pelo vento cabo-verdiano, que não é um vento qualquer! Despe-nos o casaco e transforma o nosso cabelo num ninho. É tão irritante como genial criando dunas de areia vinda do Saara. Inacreditável, não é? O vento é tão forte que consegue perfazer milhares de quilómetros carregando aquela areia linda, dourada e fininha do Saara até São Vicente. A Natureza é de facto espectacular!



Saímos do Calhau rumo a uma nova estrada que liga a cidade de Mindelo ao Calhau e vice-versa. Estrada essa que tem uma das vistas mais lindas que eu já vi, com a bem-dita Praia Grande e aquelas dunas de que vos falei como pano de fundo. Pelo caminho e, mesmo quando saíamos do carro, estava num estado tal que ainda não sentia que tudo aquilo estava mesmo a acontecer, que os meus pés voltaram a pisar aquela terra. Emocionada com o que me envolvia, tirei fotos compulsivamente. Parecia que estava com medo de acordar e pensar que tinha sonhado. E que paisagens são estas? Montanhas e estradas sem fim. E este mar imenso e revolto da Praia Grande? Um sonho que tive a oportunidade de viver!


Seguimos caminho parando rapidamente pela Baía das Gatas, um dos sítios que mais gosto em São Vicente. No dia seguinte sabia que iria regressar dado que estava combinada uma churrascada (ou grelhada como se diz lá) na Baía. No entanto, ao chegarmos a Mindelo, porque não continuar até São Pedro? E assim foi. Demos um saltinho até São Pedro onde se localiza o Aeroporto Internacional Cesária Évora e uma pequena aldeia piscatória. Por ali, como em toda a ilha, é comum ver a prática de desportos náuticos porque as condições do mar e vento assim o permitem. Vê-se muita gente a fazer bodyboard, surf, windsurf, kitesurf, etc. Ali senti vontade de me virar contra o vento e caminhar, sentir o que me rodeava. Andar. Só.


Regressámos a Mindelo a tempo do almoço de São Brás, ou seja, comer o que sobrou da festa do dia anterior. Ficámos tão cheios! E quando estávamos a recuperar, fomos "raptados" por uma tia para ir lanchar a casa dela. Já deitávamos comida pelos olhos e ainda não tínhamos chegado há 48 horas. À noite era para sair mas tive a brilhante ideia de tomar Atarax (anti-alérgico) à tarde e, como devem calcular, por volta das 21h estava a babar no ombro do Helder. Palminhas para mim (not)!

Consegui combater a moleza com todas as forças que me restavam e, em vez de ir a um bar, fui com os meus primos ouvir Morna na Rua de Lisboa - uma das principais de Mindelo. Todos os sábados um grupo de músicos vai lá tocar. É montado um palco, cortam o trânsito e cantam durante cerca de 2 horas. Foi lindo e, pronto, ia-me caindo uma lagrimita ou outra - acontece-me o mesmo com o Fado. No Verão, estes concertos de rua costumam ter mais gente e as pessoas dançam mais, pelo que em Março a cena está mais calma.


E o terceiro dia, foi dia de churrascada e de mergulhar numa das baías mais lindas do mundo (digo eu)! Não percam o Diário de Viagem #3
Viagem: Março 2015

4 comentários:


  1. Adorei toda essa magia que se desprende das imagens
    aliadas às palavras plenas de sentimento.
    :)

    Olinda

    ResponderEliminar
  2. Tão bonitos que estavam! E as fotografias estão maravilhosas, parecem reflectir um autêntico paraíso! Gostava tanto de, um dia, ir visitar Cabo Verde *suspiros*

    Sara Cabido | Little Tiny Pieces of Me

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo um paraíso! Costuma dizer-se que Mindelo é a terra onde "Deus derramou a sua alegria". Para mim, alegria e beleza. Não só Mindelo mas todo o arquipélago. É tudo tão diferente e magnífico que nos custa a absorver toda aquela informação visual. Coloca Cabo Verde na tua lista, as viagens para lá estão muito mais acessíveis do que há uns anos. :D

      Beijinhos!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...