8 de dezembro de 2014

Take Me Away | Memórias de Infância


Era para aqui que eu corria quando ia visitar a minha tia-avó. Depois de um lanche que só ela sabia fazer - os melhores lanches da minha vida - ia para a sua varanda sentar-me num banquinho pequeno e ficava, naquele calor setubalense, a ver as pessoas a passar. Depois perguntava se eu também podia ir para a rua. Diziam-me que sim e para ter cuidado. Eu só queria correr para aquelas escadas que ficavam ao lado da sua casa. Queria alcançar esta vista. Uma estrada que me parecia infinita, o Sado que me hipnotizava com a luz que brilhava nas suas águas e Tróia. Lá ao fundo, Tróia. Que para mim era uma ilha onde poderia encontrar um tesouro escondido. E, na verdade, era uma península onde pude viver momentos que se tornaram de facto tesouros da minha memória. Tenho saudades de viver aquelas tardes, estar na sua casa, do seu lanche, da sua varanda, do banquinho e de correr para aquelas escadas como se não existisse nada de mais importante no mundo. E não havia. Aquele momento era vivido como se não existisse o minuto seguinte. Os momentos pareciam eternos! 


Imagem: Carina Teixeira
Texto anteriormente publicado no Facebook

1 comentário:

  1. É o mesmo que eu sinto em relação a Quarteira. É o sitio que me lembra a minha avó,muitos bons momentos da minha infância e loucuras da adolescência,lol :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...