4 de dezembro de 2014

Diz-me Por Onde Andas | Entrevista: Sofia Machado

PASSAPORTE À LA TRIPPING IN TRIPS




Nome | Sofia Machado
(Autora do blog:

Idade | 31 anos

Nacionalidade | Portuguesa

Países visitados | 42 

Continentes visitados | 5





Viajar a solo, a dois ou em grupo | o que importa é IR! Quer seja sozinha ou acompanhada.

Viajar a baixo custo, custo médio ou 5* | Baixo Custo, baixíssimo! 

Mochila ou Trolley | Mochila, sempre!

Transporte preferido para viajar | vale tudo, avião ou cargueiro, mota ou bicicleta, barco ou caiaque, comboio, skate ou a pé…para grandes travessias, muito trekking...acredito no conceito “de devagar se vai mais longe”!

Objecto indispensável na bagagem | viajo com pouca bagagem. O sorriso e uma atitude positiva é essencial…abre portas, resolve mal entendidos e é essencial para conquistar amizades. 


ENTREVISTA


Como surgiu o gosto pelas viagens?
Desde que nasci. As histórias na hora de ir para a cama sempre foram histórias reais. Desde as aventuras do meu pai que cresceu em África, no meio da selva, com a descrição detalhada das paisagens, dos animais e das longas caminhadas que fazia com o irmão para irem à caça...o meu pai sempre foi um bom contador de histórias e a minha mãe não lhe fica atrás... recordo as aventuras dela, como por exemplo, ir de bicicleta para o Algarve nos anos 70...E depois, as férias com os meus pais, sempre repletas de aventuras e os fins-de-semana em sítios inimagináveis, só podiam dar nisto: uma curiosidade insaciável de conhecer o mundo pelos meus olhos e aprender a valorizar os pequenos prazeres que cada viagem me proporciona! Continuo a viajar pela curiosidade de ver, pela incerteza e pela mudança de rumo que me é permitido.

Que experiência ou retorno procuras quando viajas?
Quando viajo não procuro nada de especial, mas parece que encontro tudo. As incertezas e imprevistos em qualquer viagem fazem com que “aborrecimento”seja abolido do vocabulário. Ao viajar pelo mundo passamos por tudo o que ele tem: calor, frio, praias, montanhas, desertos, ilhas, neve, vento...Gosto de coisas simples que provocam sentimentos complexos!

Qual foi a tua primeira viagem? Fala um pouco sobre essa experiência.
A primaria viagem não me lembro...tinha um mês de vida e estava com os meus pais, numa casa de madeira nas Penhas Douradas durante um nevão fantástico. Os meus pais dizem que tiveram de me por junto de uma salamandra para eu recuperar a cor...Depois tenho memórias de férias nos Pirinéus e Alpes a fazer trekking com os meus pais, acho que devia ter uns 4 ou 5 anos e levava uma pequena mochila às costas. Lembro-me do primeiro avião que apanhei sozinha, aos 5 anos para ir visitar os tios à Alemanha e depois a minha primeira viagem realmente sozinha, aos 17 anos, para passar um mês e tal a percorrer as ilhas Açorianas!


Qual foi a maior aventura ou o momento mais marcante que viveste durante uma viagem?
O momento mais marcante foi na viagem em que por mero acaso conheci o Paul. Por uma sucessão de acasos acabamos por ficar juntos até agora (já lá vão 6 anos!). Tudo começou por apanharmos o mesmo meio de transporte e por partilharmos alojamento (para reduzir os custos!). No dia em que deveria regressar a Portugal os comboios atrasaram-se, acabei por perder o avião levando-me a comprar um novo bilhete… Lembro-me de estar na net, num café, a comprar o novo bilhete e o Paul, noutro computador, disse: “espero que tenhas jantar para mais um…comprei bilhete para o mesmo avião que tu!”. E assim começou a vida de um Australiano em Portugal por um ano, e depois, a minha vinda para a Austrália…Mas com cada viagem há tantas histórias giras e inesquecíveis que poderíamos ficar noites a fio na conversa sobre elas!

E a maior dificuldade com que tiveste de lidar?
Tive tantas! Fui presa na fronteira entre a Bulgária e a Servia, por não ter carimbos de estadia. Foi uma longa noite, intensa e sozinha. Chorei, não sabia bem o que fazer se as coisas corressem mal. (ups!! acho que nunca contei isto aos meus pais!!)  Claro que acabou bem e fiquei com uma história para recordar!

Qual é a tua viagem de sonho e porquê? 
Importante é ir. Acredito que todos os lugares têm inúmeras coisas para oferecer pelo que a viagem de sonho pode ser a que fazemos no nosso próprio país ou do outro lado do mundo. Crio a minha viagem com a minha experiência: dou pulos de alegria, rebolo no chão e agarro a minha mochila com o mesmo entusiasmo, sempre que surge uma oportunidade de viajar para onde quer que seja!


Viajar é conhecer novas culturas e isso também envolve a parte gastronómica. Qual foi a comida que mais te conquistou durante uma viagem? 
Em viagem qualquer comida sabe sempre bem! Se não for pelo sabor é pela experiência em si! Talvez pelo fascínio que os meus pais me incutiram em descobrir que “coisas” se comem por esse mundo fora, que estou sempre pronta a experimentar. Recordo as frutas fantásticas do Brasil e da Austrália, as Tagines Marroquinas, dos insectos “saborosos” na Ásia, mas tenho que confessar que me custou beber o chá com manteiga em Urumqui (Fronteira entre a China e a Mongólia).

Já tens planos para uma próxima viagem? Partilha.
Encaro cada dia como uma aventura, nem que seja para explorar a praia aqui ao lado. A natureza tem destes privilégios. Altera-se constantemente, de um dia para o outro, por isso mesmo num simples final de tarde conseguimos ter sempre uma experiência diferente! Em meados de Janeiro vou para a Nova Zelândia. Tenho bilhete de avião e muita curiosidade! De resto não tenho planos concretos para esta viagem. Até lá vou continuar a explorar a Austrália!


Quanto a Portugal, qual é o teu destino de eleição e porquê?
É tão difícil decidir! Portugal tem tudo, para todos os gostos! Uma costa de “cortar” a respiração, com praias excelentes para surfar ou para ficar deitada na areia a admirar a paisagem. Da costa Alentejana até Sagres é uma perdição! Para grandes caminhadas e aventuras de montanha a minha base é Manteigas. Esta pequena vila no seio da Serra da Estrela, sempre foi e sempre será um local de eleição, não só por todas as memórias de férias, mas também porque é o ponto ideal de partida para grandes aventuras na montanha! Lisboa é Lisboa, luz, recantos e muito convívio! É uma cidade vibrante com a qual me identifico 100%, e nunca me pára de surpreender - Lisboa está em constante mudança e sempre para melhor! Depois temos os Açores! Outra perdição!

Neste momento, vives na Austrália. O que de melhor retiras dessa experiência? Já viveste em mais algum outro país?
Vivi em França (Grenoble) quando fiz Erasmus. Foi uma excelente aprendizagem permitindo-me uma grande autonomia e muito contacto com as grandes montanhas. Mas isto foi só por uns meses! Na Austrália foi onde realmente comecei do zero, num país com o qual não tinha qualquer ligação, onde ninguém me conhecia…e tem sido uma experiência fantástica! Aqui, deixo-me facilmente deslumbrar pela beleza selvagem e arrebatadora da Austrália. Gosto da intensidade das cores durante o nascer e o pôr do sol. Da proximidade diária com vida selvagem e natureza e com as constantes oportunidades que este país oferece!

Há muita gente que nunca viajou por variadas razões: medo, dinheiro, tempo. Que conselhos darias a alguém nessa situação?
Mark Twain disse: “Acreditem daqui a uns anos estarão mais arrependidos pelas coisas que não fizeram do que pelas coisas que fizeram!” E eu concordo totalmente! Milhões de pessoas viajam pelo mundo. Nunca foi tão fácil viajar como agora. Temos o google, o skype, os blogs com uma infinidade de sugestões. Quanto a dinheiro, é claro que gastamos dinheiro a viajar mas, se não tivermos mesmo cuidado, gastamos muito mais dinheiro se estivermos parados! O meu conselho: - Comecem por ir um fim de semana para um sítio qualquer dentro de Portugal. Abram o mapa e apontem um sítio...façam a mochila e vão…


TRIPPING IN TRIPS QUICK QUIZ

A viagem perfeita?
Pergunta difícil.. gosto é de ir...a qualquer lugar...mas ultimamente confesso que tenho pensado muito no Vanuatu.

A comida perfeita?
Chocolate! Não consigo resistir, sou completamente viciada em chocolate!

A batida perfeita?
Oiço todo o tipo de música mas tenho um lugar especial para música Roots e Indie como por exemplo Jonh Buttler Trio, Vernas Keep, The Jezebels. Gosto de ouvir música de artista locais dos sítios por onde viajo, por isso esforço-me por perceber quais as bandas e artistas a descobrir.


Segue a Sofia e as suas aventuras também nas redes sociais:
www.facebook.com/sofianaaustralia
www.instagram.com/sofianaaustralia

1 comentário:

  1. Meu Deus! Um mundo de emoções!
    Uma excelente entrevista.
    Parabéns às duas.

    :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...