13 de novembro de 2013

Adega da Barroca: O Restaurante 109

Primeiro de tudo, não existem fotografias que se aproveitem deste jantar. Isto porque quando nos lembrámos de tirar fotos já tínhamos acabado de comer. Uma das minhas últimas visitas a um restaurante castiço em Lisboa, mais precisamente no Bairro Alto, teve tudo a que podemos considerar de cliché e tão tipicamente português. Desta vez, fomos parar a um restaurante da avó. Estávamos com um grupo de amigos, pelo que um deles recomendou este restaurante que uma amiga tinha recomendado. É assim que que se chegam às tascas e tasquinhas...pela boca do amigo do tio, que conhece a Maria, que diz ao João o quão bom é este ou aquele restaurante que parece que ninguém conhece.

O restaurante estava cheio, reservámos mesa para 7 e passado um bocado voltámos lá e já tínhamos a nossa mesa à espera. Quem comandava a casa era uma senhora de meia-idade, muito simpática com uma bata aos quadradinhos e que nos tratava carinhosamente por "meninos". Quem comandava a cozinha era o marido. Portanto, a casa anda para a frente apenas com 2 pessoas e está sempre cheia. Quando nos sentámos, lembrei-me de perguntar ao pessoal qual era o nome do restaurante. Ninguém sabia, ninguém tinha reparado. Olhei para o Helder e ele disse "É o 109", eu ingenuamente perguntei "A sério?!". Ele desatou-se a rir e disse "109 é o n.º da porta por onde entrámos". Não havia nome visível, nenhum letreiro, nada colado ao vidro, nada! Estranhamente não tentámos mais saber o nome.



Na hora de escolher o que pedir, a senhora sugeriu coisinhas boas, dado que estávamos indecisos. Pedimos bitoques e alheiras! Vieram nas famosas travessas de inox! A alheira, embora fosse saborosa, não está no top das que já provei. Pelos comentários do pessoal que comeu bitoque, dizem que estava muito bom. Aquilo é tipo comida de casa, sabe a comida de casa e ainda temos a "avó" que nos põe as mãos nos ombros e pergunta se está tudo bem e se os "meninos" querem mais alguma coisa. E queríamos sim! Para além das duas jarras de mistura de vinhos que tínhamos pedido durante as entradas, pedimos mais quatro! Uhuh

Comemos, bebemos, conversámos, rimos e no fim, a continha que veio em modo papel escrito à mão com a soma do que consumimos. E quando a maioria se preparava para sacar do cartão multibanco, a "avó" informou que não tinham multibanco. Se pensássemos um bocadinho era óbvio, tudo indicava que isto ia acontecer. Pagámos no total 73,20€ por 7 pessoas tendo pedido entradas, 6 jarras de mistura de vinhos, 1 refrigerante e 7 pratosNunca mais nos lembrámos de perguntar o nome do restaurante. E da mesma forma que quando entrámos o senhor cozinhava de forma feroz, lá continuava ele a cozinhar feroz e alegremente. Sim, porque a cozinha fica à entrada do restaurante e é aberta, vemos tudo o que se passa. As mesas é que ficam lá mais para dentro. E a senhora com um sorriso aberto, disse "Adeus, meninos!"


Como chegar:  Rua da Barroca, 109, Lisboa (pesquisei muito no Google, através de referências de localização, e só no fim deste post descobri o nome do restaurante dado que também não sabia em que rua ficava). Afinal, o Restaurante 109 já tem nome, é Adega da Barroca!


Fonte Imagens: 1 | 2 | 3

2 comentários:

  1. Fazia "like" se houvesse um botão para isso! Adorei o post... :) E acho que já fui a esse restaurante! ;)

    Ary

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh tão fofa minha Ary! É uma tasquinha mesmo castiça, muito boa! :)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...