8 de julho de 2013

10 Dicas Para Umas Férias Low Cost



Os tempos que vivemos são de contenção. No entanto, isso não significa que tenhamos de ficar em casa, deprimidos, a olhar para a televisão e deixar passar a oportunidade de viver a vida. E se não pudermos vivê-la à grande e à francesa, que seja em low cost e à portuguesa! O segredo é estabelecer limites, sermos disciplinados com o nosso dinheiro e não gastar mais do que temos. Se não temos, não se gasta. 

Devemos engolir um poço de paciência e pesquisar alternativas que caibam dentro do nosso bolso.  E se quisermos umas férias extravagantes, para mim, nada melhor do que ir poupando e pagar a pronto. Assim, quando voltar à minha realidade, sei que não tenho um peso nas costas que será retirado gradualmente através de lentas e penosas prestações!






É imperativo definir com antecedência o destino e o orçamento para as férias! Este é o ponto de partida para o desenrolar de uma pesquisa bem sucedida. Desta forma, sabemos perfeitamente o que procurar e com o que contar. 

Sugestão: Viajar de avião às terças, quartas e quintas-feiras é mais barato. Quanto ao orçamento, caso este seja, por exemplo, de 500 € devemos perspectivar umas férias que rondem os 400 € para, pelo menos, termos 100 € extra caso surja algum imprevisto.





Embora as agências de viagem nos facilitem a vida, estas levam sempre uma comissão. Nada mais justo. Contudo, se quisermos poupar esse dinheirinho, podemos pesquisar por nós mesmos. Existem vários websites onde podemos encontrar o voo mais barato para a época pretendida e o alojamento à nossa medida. Podem também ir aos sites das agências de viagem para tirar umas ideias e  perceber os preços  praticados no momento.

Sugestão: No que toca às grandes viagens e aos grandes circuitos, para quem tem a disponibilidade financeira de os fazer e não se aventura a organizar tudo sozinho, penso que as agências de viagem são uma excelente opção.

Websites que prefiro: Voos - www.skyscanner.pt | Alojamento - www.booking.com e www.airbnb.pt | Reviews sobre alojamento, restaurantes e lazer - www.tripadvisor.com | Cruzeiros - www.logitravel.pt






Há não muito tempo comparar era uma chatice. Se queríamos alcançar algum resultado, era comparar 24h por dia! Felizmente, agora tudo mudou! Actualmente, temos websites que pesquisam e comparam por nós! Apenas colocamos o ponto de partida e de chegada, a data pretendida e número de passageiros. Mas, como nada é perfeito, a base de dados desses websites não é infinita, por isso, existem alguns hotéis, pousadas, hostels que não figuram lá. 

Sugestão: Depois das comparações feitas e quando decidirem marcar o voo ou estadia, verifiquem se fica mais barato reservar directamente através da página da companhia aérea ou hotel/ hostel. É que, às vezes, sites como o Skyscanner,  redireccionam-vos para outros sites, como por exemplo o Edreams ou o Rumbo, que cobram uma comissão pelas reservas e fica ela por ela. Got it? No entanto, devo dizer que através do Skyscanner já consegui voos mais em conta do que, por exemplo, comprando directamente à TAP.

Nota: Existem vários websites para comparação de preços - Skyscanner, Momondo, Trivago, etc.






Enquanto comparam, é importante ter em mente a zona onde querem ficar, excluindo automaticamente os hotéis que se situam nas zonas que não interessam. A comparação de preços, pode ser feita visualizando um mapa integrado no próprio website, por exemplo no Booking.com, que mostra a localização dos hotéis e preços.

Sugestão: Mais barato nem sempre significa Low Cost. Ora vejamos: 

Exemplo 1) Ao escolher um voo para um aeroporto mais distante isso poderá implicar um gasto maior na deslocação entre o aeroporto e a cidade. Façam bem as contas e vejam se realmente compensa. Assim poupam tempo e dinheiro. 

Exemplo 2) Ao escolher um hotel que fica distante do local de destino, pode não ser a melhor ideia caso o objectivo seja estar perto dos locais de interesse. Existem várias alternativas em conta que são mais centrais, evitando, desta forma, gastar mais dinheiro em deslocações. 






Vários hotéis oferecem promoções online no seu próprio site. Essas promoções poderão ser descontos nas tarifas diárias, criação de pacotes que conjugam estadia e actividades ou até mesmo descontos para famílias com crianças. Existem também sites de descontos que têm uma panóplia de promoções em restaurantes, estadias, experiências, viagens, produtos e serviços. 

Sugestão: Em todos os descontos e promoções existem condições, por isso, verifiquem sempre se existe algum prazo para usufruir da promoção e se existe reembolso em caso de desistência. Leiam sempre as condições das promoções antes de as comprarem.

Websites de descontos: www.odisseias.pt | www.pt.letsbonus.com | www.groupon.pt | www.planeo.pt







Os tipos de alojamento mais comuns são os hotéis, pousadas e hostels. Há várias alternativas, para todos os gostos e que podem sair mais baratas. 

Campismo: Para os amantes do campismo, esta é uma forma mais económica de passar as férias, pelo que o equipamento de campismo é barato e é de longa durabilidade. Pode-se adquirir este equipamento nas lojas Decathlon e Sport Zone.

Troca de Casa: Podemos encontrar redes de intercâmbio de casa na internet, o que veio ajudar em muito a poupar, dado que uma troca não é uma compra. Ficamos com todas as facilidades e comodidades de estar numa casa sem pagar um tostão. Site: www.trocacasa.com | www.guesttoguest.com

Couch Surfing: Este sistema de intercâmbio permite que os mais aventureiros permaneçam em casa de pessoas desconhecidas que emprestam o seu sofá durante o tempo acordado. Assim, poupa-se dinheiro e convive-se com gente local. Site: www.couchsurfing.org

Aluguer de Apartamento: Em Portugal, vê-se muitas famílias e grupos de amigos que rumam, por exemplo, ao Algarve a optar por este tipo de alojamento, pois é bastante económico ao dividir por todos. O aluguer de apartamento para férias está a crescer cada vez mais, havendo vários sites para o efeito. Sites: www.airbnb.pt | www.homeaway.pt | www.wimdu.ptwww.tripadvisor.com | www.9flats.com






Existem muitas actividades e eventos gratuitos. Há muita gente que não sabe, mas por este mundo fora existem muitos monumentos e museus com entrada livre e outros gratuitos até aos 25 ou 26 anos. Ao escolher o destino de viagem, não se esqueçam de procurar na internet a agenda cultural desse local. Deste modo, poderão saber os eventos que existem na altura e aos que podem ir tendo em conta os valores apresentados. É muito bom quando temos oportunidade de viajar na altura das festividades locais porque normalmente acontecem ao ar livre, sendo esta uma excelente forma de conhecer a cultura do local em estado puro.

Quanto a Free Tours, são uma óptima opção para quem não quiser ou puder gastar em excursões ou autocarros turísticos. Por vezes, os hotéis e hostels têm as suas próprias free tours que são, normalmente, a pé conhecendo o essencial. Tal como já referi neste post, as Free Tours da Sandeman's New Europe são uma boa alternativa às tours pagas.






Se for possível, durante as férias, há que limitar as refeições feitas nos restaurantes. Podemos encontrar estratégias de poupança decidindo que apenas os jantares serão feitos fora. Caso a pessoa esteja hospedada num hotel e não tem onde confeccionar os alimentos, poderá comprar comida nos supermercados ou lojinhas de rua para ir comendo enquanto passeia. Se o alojamento que escolherem tiver cozinha, tirem partido dela. 







Tentem levar de casa aquilo que vos fará falta durante as férias. Caso se esqueçam de algo, comprem apenas o necessário para colmatar aquela falha. E para quem gosta de comprar souvenirs, façam-no mas sem exageros...as lembranças materiais podem ser importantes mas não são o mais importante. Para quem viaja de avião e fica algumas horas à espera do voo na zona franca, não percam a cabeça nas dezenas lojas que vos rodeiam. Dá para fazer boas aquisições no duty free mas quando isso se transforma numa forma de fazer passar o tempo, não é positivo para o nosso saldo. 







Viajar de Carro: Quem viaja de carro, pode aproveitar para conhecer mais por menos. Por exemplo, no momento do regresso a casa, se não formos pela autoestrada, podemos ir parando em locais que ficam em caminho para conhecê-los - tal como fizemos aqui. Esta é uma excelente forma de conhecer outros locais, gastronomias e pessoas sem ter necessariamente de pernoitar. Ao chegar ao destino de férias, podem também aproveitar para conhecer as redondezas. Usem o Google Maps para traçar as vossas paragens  e o ViaMichelin para perceber os custos ou então sigam à aventura sem nada planeado.

Viajar de Comboio: Quem viaja de avião e quiser passar umas férias na Europa, também pode conhecer mais por menos. Indo, por exemplo, a Amesterdão poderão apanhar comboios que seguem para cidades europeias na Alemanha, Bélgica, França, Reino Unido etc. Existem várias campanhas promocionais na Thalys ou na Voyages-sncf onde podemos encontrar bilhetes super baratos. Outra opção muito escolhida por jovens, são os InterRails, em que se compra um pacote com países e dias previamente escolhidos e parte-se à aventura.


---

Que tal, gostaram destas dicas? Que tipo de temas gostariam que fossem abordados desta forma?

1 comentário:

  1. Lugar espectacular, um atendimento personalizado e óptimas paisagens. Uma férias para repetir :)
    Deixo o link da pagina aqui https://www.facebook.com/quintaquebradaturismoecologico

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...