20 de abril de 2013

Destinos Improváveis | Curaçao


Não conhecia Curaçao, muito menos onde se situava no mapa. Um dia, ao ler um post de uma blogger holandesa, deparei-me com este país. Sim, um país autónomo que pertence às Antilhas Holandesas – pertencentes ao Reino dos Países Baixos - construído da diversidade cultural que se reflecte na sua arquitectura, na fisionomia das pessoas e na sua língua. Uma miscigenação perfeita que, embora maioritariamente forçada pela condição de escravo, resultou num local com uma cultura e povo que dão vontade de conhecer.

Quando penso neste país, a primeira coisa que me vem à mente são cores. As construções, de estilo inconfundivelmente colonial holandês, são tão coloridas! Uma palete de cores que nos levanta o ânimo! A capital de CuraçaoWillemstad, faz parte do património mundial da UNESCO devido a estes edifícios históricos. Este país com cerca de 142 mil habitantes, tem como línguas oficiais o holandês e o crioulo/papiamento falado nas ilhas caribenhas. O nome das cidades e das ruas provem do holandês ou neerlandês.

E o meio envolvente? Uma pequena cidade de cores vibrantespraias douradas de água cristalina que alimentam uma vontade irracional de ficar por lá uns tempos! Um dos motores da economia de Curaçao é, sem grandes surpresas, o turismo. E enquanto não posso provar os pratos típicos desta ilha, vou tentar fazer umas réplicas aqui por casa. A gastronomia de Curaçao chama-se Krioyo, ou seja, crioulo que espelha, de facto, que esta gastronomia é o culminar de um encontro de várias origens à mesa.


A origem do nome Curaçao é portuguesa! Existem várias teorias quanto à origem do nome mas esta é a que reúne mais consenso:

Aquando da chegada dos portugueses à ilha, no século XVI, viram naquele local a cura para os navegadores doentes com escorbuto devido à fruta rica em vitamina C que Curaçao tinha. Os portugueses denominaram esta ilha de Ilha da Curação (Island of Healing), isto é, que tem a arte de curar. Mais tarde, quando a ilha estava na posse dos holandeses, dado que estes não conseguiam pronunciar Curação, o til caiu e ficou Curaçao. Confesso que me irrita um pouquinho não dizer a palavra com o til…parece que temos o nariz entupido.

O povo, maioritariamente mestiço, foi outrora constituído pelos Ameríndios Arawak. Muitos foram os povos que por lá passaram tais como, os portugueses, os espanhóis, os holandeses, etc. No caso dos espanhóis, estes começaram por escravizar a população desta região, até que em 1634 Curaçao foi ocupada pelos holandeses. Os holandeses tornaram Curaçao o centro de comércio de escravos no Atlântico em 1662. Os mercadores holandeses, ao abrigo de um contrato feito com Espanha, levaram muitos escravos vindos de África para Curaçao a fim de serem vendidos para vários destinos da América do Sul e Caribe. O comércio de escravos, criou muita movimentação de pessoas na ilha o que impulsionou o crescimento de Willemstad com a construção dos vários edifícios que actualmente se pode ver em Curaçao.


Tenho pena de não haver muita divulgação deste destino em Portugal. As agências de viagens não apostam muito em Curaçao. Apenas há pouco tempo vi uma oferta na Agência Abreu mas nada de espectacular em termos de divulgação deste destino. Já tentei fazer as contas indo por mim mesma mas fica para lá de caro! É um dos meus destinos de sonho pela sua riqueza histórico-cultural e beleza natural estonteante!

                             


Site Oficial de Turismo de Curaçao: www.curacao.com


Imagens: Fonte | Montagem: Carina Teixeira | Conteúdo Histórico: Fonte 1 |  Fonte 2

4 comentários:

  1. Já te disse que Adoro o teu blogue?
    Então digo novamente: ADORO O TEU BLOGUE!=)

    ResponderEliminar
  2. Eu desconhecia e agora fiquei mais culta :D woooow
    MAS QUE SÍTIO!!!

    kiss kiss*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece ser lindo, não é? Um dia hei-de ir lá...um dia...
      Já estou a trabalhar num novo destino improvável, vai passando por cá.

      Obrigada!***

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...