14 de abril de 2013

Take Me Away | Da Ponte, os Cruzeiros!



Vou e venho de Lisboa todos os dias. Passo a mítica Ponte 25 de Abril todos os dias. E, todos os dias, vejo os navios no Porto de Lisboa. Ao longo do rio Tejo, vejo os cacilheiros, catamarãs, veleiros, cargueiros e cruzeiros. Com o céu limpo, até consigo vislumbrar a grande Ponte Vasco da Gama. O mar fascina-me. Toda a minha vida, vi a água como uma barreira que nos separava do lado de lá: Lisboa. A única maneira de atravessar o rio, para uma família sem automóvel, era ir de barco. Passados tantos anos, o rio lá continua o seu curso e nós a nossa vida tendo mais opções para atravessá-lo. E com olhos de criança admiro os barcos, desde as pequenas às grandes embarcações. Enquanto olho, vão surgindo vontades e ideias, neste caso misturando a minha admiração pelo mar com a possibilidade de fazer um cruzeiro.

Já li e ouvi dizer muito bem e muito mal de cruzeiros. A verdade é que os preços estão acessíveis e a minha veia lowcostiana tem de pensar no que é melhor em termos de quantidade, qualidade e preço. Já fiz as contas. Com cerca de 500€ p/ pessoa, consigo visitar 5 países, 8 cidades com alojamento em sistema tudo incluído, isto é, alimentação e bebida à discrição. Nestes 500€ que menciono já estou a incluir o vôo de ida e volta, por exemplo, de Lisboa para Barcelona caso seja este o porto de partida. Ando a namorar desde o ano passado um cruzeiro da Pullmantur, o Brisas do Mediterrâneo. A Pullmantur é das poucas companhias que tem o sistema tudo incluído em todos os navios. O Brisas do Mediterrâneo seria a minha primeira incursão pelas lides cruzeirísticas, sendo que visitaria Barcelona, Tunes, Roma, Florença, Pisa, Génova, Nice e Montecarlo.


REALITY CHECK:

1 - Os valores que nos apresentam por um cruzeiro é o valor base, pelo que ainda são acrescidas as taxas que, por vezes, são tão ou mais caras que o próprio preço base. Somando excursões e alimentação fora do navio percebi que temos de ir com um bom back-upzinho na carteira. Sugestão a quem vende: apresentem o preço total e, antes do pagamento, discriminem o preço. Facilita ao cliente todo o processo de decisão e compra, pois as taxas não são uma opção e teremos mesmo de pagá-las.

2 - Depois do navio atracar, quais são as minhas alternativas se não quiser pagar um balúrdio pelas excursões do navio? Pesquisei, fiz as contas e percebi que nos portos situados longe das cidades, como Civittavechia que se situa a 70 km de Roma, pago apenas o transporte do navio até à cidade e faço a minha própria excursão dentro do tempo estipulado.

3 - Na maioria dos cruzeiros, pagam-se gorjetas diárias obrigatórias. Pelo que pude apurar, as gorjetas no Brisas do Mediterrânio rodam os 7€ p/ dia e p/ pessoa, isto é, 56 € pelos 8 dias de viagem. Torço o nariz, pensei e voltei a pensar mas continuo de nariz torcido, esta coisa das gorjetas faz-me confusão.


Concluo que fazer um cruzeiro, hoje em dia, está mais acessível do que há uns anos. Se pensar em visitar 8 cidades de 5 países diferentes através da forma convencional, gastaria muito mais do que os 500€ e as despesas com excursões ou transporte e alimentação. Quero conhecer muito com o menor gasto possível. E sempre que passo pela ponte tenho vontade de entrar naqueles navios-cruzeiro atracados no porto de Lisboa, tão vistosos e imponentes. Faço planos e surgem ideias naqueles 5 minutos diários em que os admiro.

Dica: a meu ver, o melhor website em português para pesquisar cruzeiros é a Logitravel. Para além de encontrares vários cruzeiros com diferentes destinos, podes tirar todas ou quase todas as tuas dúvidas sobre cruzeiros clicando aqui.


Imagens:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...